sábado, 25 de julho de 2015

Homem-Formiga


Mais um filme da Marvel, Homem-Formiga deixa de lado a destruição em grande escala de lado e faz incríveis de combate e luta em lugares como uma maleta e uma ferrovia de brinquedo. Ponto alto do filme! O filme é muito legal, todo ele. Gostei de tudo, das lutas nos lugares pequenos, de ele aprendendo a usar seus 'poderes', da maneira como lidaram com o relacionamento pai-filha nos dois casos. Um filme bem divertido! Fiquei com meod do filme depois de toda a confusão que teve na produção (diretor, roteirista saindo, tendo que ser substituido). A maneira como ligaram esse filme ao universo marvel tamém foi bem legal com direito a participação de um deles.
Agora o que me deixou muito animado foi a declaração da Evangeline Lilly de que gostaria que a Michelle Pfeiffer interpretasse a mãe dela em um futuro filme. Tomara!

domingo, 19 de julho de 2015

Azul É A Cor Mais Quente


Azul É A Cor Mais Quente é um filme francês que deu muito o que falar na época que foi lançado pelas cenas demoradas e detalhadas de sexo entre as protagonistas Emma e Adèle, o que, mais tarde, até gerou um certo desentendimento entre uma das atrizes e o diretor em uma entrevista.
O filme conta a história de um relacionamento, como nasce o desejo entre duas pessoas, como ele se desenvolve e às vezes acaba. Na minha opinião, é uma investigação sobre o desejo, porque uma pessoa se sente atraída por uma pessoa e não por outra. Isso fica bem claro no diálogo sobre desejo na festa dada pelas protagonistas e como esse desejo influencia a vida cotidiana e vice-versa. Apesar de ter sido muito falado pelas cenas de sexo, isso é o menos relevante, a forma como a história contada é de uma delicadeza, sutileza que fazem toda a diferença do filme.

domingo, 12 de julho de 2015

Terremoto: A Falha de San Andreas


Confesso que não estava muito animada para ver este filme. Não gosto de filme de desastre, fui mais pela companhia. Eu me animei mais também pelo fato de ter a Archie Panjabi de The Good Wife.
Tirando os absurdos do roteiro (tipo, The Rock pega o helicóptero de trabalho e fica zanzando de um lado para o outro enquanto milhares de pessoas precisam ser resgatadas), Terremoto: A Falha de San Andreas me impressionou a ponto de eu ficar com medo de terremoto. É um bom filme de desastre, faz seu trabalho. Mas o que eu mais gostei do filme foi de ver rostos conhecidos: Archie Panjabi que eu já mencionei antes, Colton Haynes que eu não reconheci no filme, Hugo Johnstone-Burt que faz uma série australiana de detetive Os Mistérios de Miss Fisher e Art Parkinson o Rickon Stark de Game of Thrones (como o menino cresceu).

sábado, 4 de julho de 2015

Jurassic World: O Mundo dos Dinossauros

Eu vi o primeiro filme, Jurassic Park, e não vi os outros dois porque achei que não acrecentariam nada. O primeiro vi mais de curiosidade, afinal, são dinossauros. Acredito que o que falam no filme possa ser verdade: depois que deixou de ser novidade, ninguém liga mais. Queria até rever o primeiro filme agora, porque nem lembro direito dele.
A história de Jurassic World é basicamente a mesma do primeiro, a diferença é que o parque já está aberto, tem milhares de pessoas andando por lá. O que eu gostei no filme é que tem muito susto, do nada aparece um dinossauro para te devorar. Em geral, não gosto muito de filme de susto, mas esse é o ponto alto do filme. O dinossauro vilão também é bem legal, um híbrido criado geneticamente que reserva algumas surpresas. Claro que a situação foge do controle. Destaco o BD Wong que faz o cientista que criou o bichano. Ele fez parte do primeiro filme e eu não lembrava, porque ainda não assistia Law & Order SVU. Saudades dele na série.

Masrani: You created a monster!
Henry Wu: Monster is a relative term. To a canary, a cat is a monster. We're just used to being the cat.

domingo, 29 de março de 2015

Museu de Arte do Rio


Já tinha bastante tempo que eu queria ir no MAR (Museu de Arte do Rio), desde que inaugurou, mas ficava procrastinando. Bom, fui.
O espaço é bem amplo, a entrada tem um gramado sintético e uns bancos que é ótimo para ficar batendo papo e conversando. Para andar pelo museu, você começa pelo terraço (sobe pelo elevador) que tem uma vista linda e vai ficar mais ainda quando as obras em volta ficarem prontas.
O museu tem cinco andares e cada andar era dedicado a uma exposição. E conforme ia descendo, elas iam ficando melhores, na minha opinião.

domingo, 22 de março de 2015

Predileção

Em uma entrevista do Marcio Garcia, ele mencionou que o curta-metragem que ele dirigiu, Predileção, foi que abriu as portas para ele nessa parte. Fui ver o filme que está disponível online e eu coloco aqui embaixo. Trata-se um assalto a banco em pleno Rio de Janeiro com algumas reviravoltas.
Após assistir ao filme, fiquei pensando que vejo pouco curtas metragens. Eles não aparecem tanto como os longas. Comparo-os como os contos escritos e me lembrei de como o Asimov tem contos que me agradam, mas isso é outro assunto. E resolvi procurar alguns curtas para ver e me surpreender. Os curtas metragens devem ser concisos e objetivos e isso pode ser bem interessante.

Predileção from MGP Filmes on Vimeo.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)

De todos os filmes que concorreram ao Oscar esse ano, esse foi o que achei mais sem graça. Prefiro muito mais O Jogo da Imitação. O que achei interessante em Birdman foi a maneira como foi filmado, em plano sequência. Gostei de ver o Edward Norton também, tinha tempo que não via um filme dele. Fui ver o filme sem saber que era com ele. Acho que não tenho muito para falar sobre o filme.